Líderes em 2020: O executivo da próxima geração

Imagine a empresa ideal para a economia digital: ela é ágil

Os colaboradores são engajados e têm relacionamentos sólidos com gerentes e entre si, e seus respectivos executivos estão sempre atualizados sobre tecnologia e aptidões de liderança. As decisões – das menores até as mais estratégicas – são tomadas, de forma rápida e fácil, em toda a organização.

Essa visão de empresa digital se parece muito com a de uma PME bem administrada. De fato, as PMEs devem ter algumas vantagens determinantes sobre os concorrentes maiores em um mundo digital em ritmo acelerado: estrutura mais enxuta e menos burocracia, oportunidades de relacionamentos mais sólidos e mais pessoais, menos inércia e menos barreiras nas mudanças.

Mas a realidade é mais complicada. A maioria das PMEs enfrenta os mesmos obstáculos de transformação digital e desafios de crescimento dos concorrentes maiores, problemas que começam com a falta de liderança executiva apropriada.

A Oxford Economics entrevistou recentemente 2.050 executivos seniores e 2.050 colaboradores de todo o mundo e de todos os setores sobre como a liderança e as estratégias organizacionais estão migrando para a era digital; essas pesquisas incluíram uma amostra expressiva de PMEs. Nossa análise dos dados da pesquisa revelou três imperativos críticos para os líderes de PMEs:

  • Faça do tamanho de sua empresa uma vantagem. A maioria dos executivos de PMEs não adota o processo decisório rápido nem a estrutura organizacional enxuta necessários para impulsionar a transformação As PMEs devem definir estratégias de transformação digital que tenham como base seus pontos fortes inerentes.
  • Priorize seu A satisfação e o engajamento dos funcionários são fundamentais para o sucesso – mas muitos líderes de PMEs não estão focados o suficiente no que deixa os trabalhadores ficarem realmente satisfeitos.
  • Sinta-se à vontade com a diversidade. Para enfrentar grandes concorrentes globais, os líderes de PMEs precisam fazer um esforço adicional para desenvolver uma força de trabalho diversificada e beneficiar­-se

Para operar na economia digital, as empresas precisam incorporar inovações rápidas e contínuas, acelerar o processo decisório e o raciocínio estratégico e garantir que as aptidões estejam à altura do que o futuro vai lhes reservar. Empresas de todos os portes – não só as PMEs – lutam para acompanhar esse novo ambiente, mas as PMEs terão a oportunidade de superar seus concorrentes maiores – se elas reconhecerem e reagirem frente aos desafios da liderança.

As PMEs terão a oportunidade de superar seus concorrentes maiores – se elas reconhecerem e reagirem frente aos desafios da liderança.

Conheça os Campeões Digitais

A Oxford Economics identificou um conjunto de recursos e práticas que definem empresas com melhor gestão, incluindo processo decisório, foco na transformação digital, iniciativas de desenvolvimento de colaboradores e culturas organizacionais niveladas. Nossa análise corporativa tem como base as avaliações de executivos individuais que classificaram as habilidades e as estratégias de gestão de suas organizações. Em suma, os Campeões Digitais são empresas que contam com executivos mais bem preparados para a economia digital.

Vale a pena ser um Campeão Digital. Estas empresas:

  • são 38% mais propensas do que as outras a relatar forte crescimento da receita e dos lucros (76% vs. 55% em comparação a outras);
  • têm estratégias e programas mais maduros para contratação de talentos qualificados (85% 64%), criação de diversidade (56% vs. 48%) e planejamento de sucessão (72% vs. 50%); e
  • têm colaboradores mais satisfeitos (87% 63%) e mais propensos a permanecer em seus empregos diante de outras oportunidades de sair (75% vs. 54%).

Apenas 16% dos executivos de PMEs se qualificam como Campeões Digitais – a mesma proporção da amostra geral. Na ampla maioria das organizações entrevistadas, a transformação digital está apenas começando. A mudança organizacional começa com a ação individual. Para serem Campeões Digitais, as empresas devem focar nas aptidões dos executivos e na cultura que criam – e certificar-se de que o progresso crescente nessas áreas esteja mapeado para uma estratégia digital geral.

Como os executivos conduzem a transformação digital:

Desenvolvendo liderança digital

Empresas de todos os portes precisam atualizar a liderança para a economia digital: apesar da aceitação generalizada de que as coisas precisam mudar, o processo decisório continua lento e complexo, as competências de gestão não são atualizadas e os colaboradores não têm a tecnologia e treinamento de que necessitam para se manterem relevantes.

Os executivos de PMEs confirmam o imperativo da transformação. Na prática, nosso relatório de referência sobre PMEs, publicado pela SAP em 2013, descobriu que organizações menores estão tão focadas na transformação para atender às necessidades desse novo mundo quanto seus concorrentes maiores. Essa descoberta se confirma em nosso estudo atual: quando perguntados sobre os fatores que mais influenciarão os negócios nos próximos três anos, a maioria dos colaboradores mencionou a mudança tecnológica e a transição para a economia digital.

Mas alguns líderes de PMEs não estão tomando a medida decisiva necessária para atender às demandas deste novo cenário de negócios. Assim como nas empresas maiores, muitos executivos e colaboradores de PMEs concordam que a gestão intermediária carece de competências essenciais para navegar na transformação digital e mudança do ambiente de negócios. Pior ainda, eles são menos propensos do que as empresas maiores de dar a devida atenção ao problema: menos de 60% dos executivos de PMEs dizem que a empresa está focada no aprimoramento da proficiência digital entre gerentes.

Uma característica inconfundível da proficiência digital é a capacidade de tomar decisões importantes com rapidez – algo que os Campeões Digitais fazem muito bem. No entanto, assim como as empresas maiores, somente cerca de metade dos executivos de PMEs diz que as decisões são baseada em dados em tempo real, ou mapeadas para estratégias da empresa. A boa notícia é que a ausência relativa de complexidade organizacional deve facilitar para as empresas menores mudar tais processos – além de lhes possibilitar uma vantagem considerável sobre os concorrentes maiores.

Na economia digital, as decisões precisam estar atualizadas

No nível sênior, em geral, como as decisões são tomadas em sua organização? Respostas “Grande parte do tempo” e “Todo o Tempo”

Criando engajamento do colaborador

A contratação, o desenvolvimento e a retenção dos principais talentos serão fundamentais para os líderes de PMEs fazerem frente a um crescente número de concorrentes em todo o mundo. Os executivos de PMEs sabem que o talento é uma prioridade, mas ainda precisam transformar esse conhecimento em ação: embora citem, mais do que empresas maiores, a escassez de talentos qualificados como um impacto importante no futuro na empresa (21% de PMEs vs. 14% do total geral), eles revelam, tanto quanto as empresas maiores, que a empresa está tornando o recrutamento de talentos a principal prioridade estratégica.

Atualmente, apenas cerca de metade das PMEs avalia o engajamento dos colaboradores ou tem planos para reduzir a rotatividade quando as metas não são atingidas satisfatoriamente. A liderança de PMEs deve também se empenhar para descobrir se os colaboradores estão satisfeitos com as oportunidades de desenvolvimento e de benefícios. Como os colaboradores de empresas maiores, os trabalhadores de PMEs valorizam a remuneração competitiva, o equilíbrio de trabalho/vida pessoal, a qualidade dos gerentes e o trabalho significativo, mas a empresa deles não é propensa a oferecer tais benefícios. Apenas 40% dos executivos e 44% dos colaboradores de PMEs dizem que a empresa oferece remuneração competitiva.

Essa escassez pode explicar por que as PMEs enfrentam atritos. Quase um quinto diz que a taxa de rotatividade de colaboradores é maior em comparação a dos concorrentes – uma proporção maior do que a de grandes empresas que participaram de nossa pesquisa. Os colaboradores de PMEs são menos propensos que outros a dizer que estão satisfeitos com seus empregos, e apenas cerca de metade recusaria uma posição similar com pagamento equivalente em outras empresas.

A maioria dos colaboradores satisfeitos trabalha para empresas onde as decisões são tomadas rapidamente, a complexidade e a burocracia são desaconselhadas, a remuneração competitiva e outros benefícios estão amplamente disponíveis, a liderança entende o valor da diversidade e a gerência é proficiente em várias áreas – resumindo, nossa definição de Campeões Digitais. As PMEs devem ajustar suas estratégias de liderança digital para manter os colaboradores satisfeitos, motivados e afastados da concorrência.

As PMEs são mais propensas do que as grandes empresas a citar a escassez de talentos qualificados como um impacto significativo na empresa.

A diversidade é o diferencial

Gerenciar uma força de trabalho diversificada é obrigatório para líderes em um ambiente global de negócios. Empresas maiores podem ficar à frente de seus pares menores nessa área, pois geralmente operam em mais países. Como resultado, elas são mais propensas a incumbir expressamente alguém, por exemplo, diretor de diversidade, de cultivar e gerenciar indivíduos de uma ampla gama de nacionalidades, gêneros, aptidões e perspectivas.

Nossas pesquisas mostram que muitas PMEs ainda se empenham em alcançar a diversidade. Embora empresas de todos os portes possam utilizar o aprimoramento, as menores ficam ainda mais atrás. Elas são menos propensas do que as empresas maiores a dizer que a diversidade aumentou na força de trabalho geral (51%) ou na liderança de nível médio (38%), embora sejam mais propensas do que as maiores a dizer que isso aumentou na diretoria e na liderança sênior.

Os executivos de PMEs são menos propensos do que a amostra geral a dizer que a diversidade teve um impacto positivo na cultura, e que esse impacto positivo se propagou para o desempenho financeiro. Da mesma maneira que empresas de outros portes, menos da metade das PMEs diz que a liderança reconhece a importância da diversidade.

Os Campeões Digitais estão mais focados nos benefícios da diversidade, em termos de cultura e desempenho financeiro – uma etapa crítica na criação de uma cultura diversificada e inclusiva. Criar justificativa para a diversidade no nível do conselho ajudará as empresas na elaboração de programas mais eficazes para criar diversidade que, por sua vez, gerará maiores benefícios.

Conclusão

A economia digital apresenta às PMEs mais desafios do que nunca, inclusive a concorrência em todo o mundo e a ameaça de novos concorrentes com tecnologia, subvertendo setores inteiros. Mas esse ambiente cria também outras oportunidades.

Mudança nunca é fácil – mas pode ser mais fácil para as PMEs do que para seus concorrentes de maior porte. Pequenas e médias empresas devem aceitar essa realidade. A reformulação da liderança para a economia digital – seja pela atualização do processo decisório para ser orientado por dados e distribuído na organização, pelo aperfeiçoamento profissional de executivos e colaboradores, pelas mudança das estruturas organizacionais ou pela definição e comunicação de uma estratégia digital para toda a empresa – deve ser mais fácil para empresas menores.

Por outro lado, as PMEs enfrentam seus próprios desafios. Pode ser mais difícil para elas desenvolver uma força de trabalho global diversificada ou recrutar colaboradores. O empenho extra da liderança nes­sas áreas acelerará mais a transformação digital e ajudará pequenas e médias empresas a assumirem a liderança de mercado e alcança­rem crescimento sustentável.

PMEs: Um panorama

Para este estudo, definimos as PMEs como empresas com receita entre USD 250 a USD 500 milhões. Aproximadamente um quarto dos entrevistados de nossas pesquisas globais de mais de 4.100 executivos seniores e colaboradores que não ocupam cargos de gerência provém de PMEs; nossa amostra inclui 515 executivos e 512 colaboradores entrevistados de empresas desse porte.

Nossa amostra de executivos e colaboradores de PMEs está distribuída no mundo todo e em todos os setores. Uma pequena maioria de PMEs percebe ganhos financeiros modestos (54% dizem que a lucratividade aumentou nos últimos três anos; 60% perceberam ligeiros aumentos no crescimento da receita).

Fonte: OxfordEconomics.com

Tags:
0 Comentários

Envie uma Resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

©2013 - 2018 SPS Consultoria todos os direitos reservados. Criado por .Rocket | Estúdio Digital.

Fazer login com suas credenciais

Esqueceu sua senha?