Economia Digital: o seu presente e futuro - SPS CONSULTORIA

Economia Digital: o seu presente e futuro

Economia Digital
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no pinterest

A forma como as empresas fazem negócios muda bastante de tempos em tempos. Nos seus primórdios, tudo dependia do contato direto entre indivíduos. Hoje em dia, com a chegada de novas tecnologias, é possível fazer compras de várias outras formas. A todo esse contexto, damos o nome de economia digital.

Esse conceito é reflexo da chegada das novas ferramentas associadas à internet e à tecnologia móvel. Como muitas inovações no campo empresarial, ela está passando de uma novidade ou diferencial a uma exigência de competitividade.

Mudanças nas formas de consumo talvez tenham sido as mais importantes e perceptíveis proporcionadas pela nova economia. São diversos os exemplos das que já estão funcionando a todo vapor. O consumo colaborativo, a troca de experiências e de serviços específicos, de propriedade compartilhada, aluguel, compra coletiva, passando também pela subscrição, pelo empréstimo, pelo micro financiamento, crowdfunding, crowdsourcing e outros mais.

Em um mercado altamente competitivo e de oportunidades um tanto restritas, acompanhar essas mudanças é obrigatório para empreendedores que pretendem manter as portas abertas.

Para te ajudar com essa tarefa, vamos falar um pouco mais sobre como esse conceito se aplica e como essa forma de negócio pode alterar o funcionamento de uma empresa.

O que é a economia digital na prática?

Uma forma simples de explicar esse conceito seria: “um conjunto de técnicas e recursos que foca no uso de ferramentas tecnológicas para incrementar a qualidade do trabalho realizado na empresa”. Isso envolve softwares de controle e gestão, comunicação de longo alcance, e-commerces, entre outras soluções que têm ganhado força nos últimos anos.

Aprofundando um pouco mais o conceito, ele também pode ser compreendido como um apanhado de regras e convenções para a realização de negócios relativos à era digital. No lugar de dinheiro, a moeda de troca seria a informação, seja ela sobre o público ou sobre a própria empresa. Isso abre novas possibilidades para entender o que você, enquanto empreendedor e gestor, valoriza em seus negócios.

No dia a dia da empresa, você poderá notar a diferença em comparação a um meio não digital de negócios. O tipo de ferramentas utilizadas, nível de burocracia, velocidade com a qual as informações circulam, entre outras coisas, será visivelmente distinto.

Como a economia digital afeta a empresa?

Mais agilidade para os negócios

O efeito mais notável das novas tecnologias é a forma e a velocidade com a qual as pessoas passam a interagir e trocar informações. Uma mensagem que levaria semanas para ser entregue pode ser distribuída para diversas equipes ao redor do mundo em poucos minutos. Isso muda as dinâmicas tanto no ambiente interno quanto externo à empresa.

Primeiramente, os processos de BackOffice podem ser facilmente otimizados, reduzindo o tempo necessário para cumprir a maior parte das tarefas do dia a dia. Além disso, a negociação e troca com outras empresas — incluindo parcerias, fornecedores e possíveis clientes — torna-se extremamente rápida.

Se ambos souberem como utilizar esses recursos tecnológicos, será possível fechar um acordo mais lucrativo em bem menos tempo.

Crescimento de novas mercadorias

A era da economia digital trouxe a possibilidade de vender por meio de e-commerces, sites nos quais são expostos produtos e serviços que podem ser entregues posteriormente. Porém, mais do que anunciar objetos físicos, essa mudança também permitiu o crescimento dos infoprodutos, mercadorias sem forma física, mas que ainda possuem valor.

Um exemplo claro disso é o aumento nas vendas de softwares, como jogos, filme, editores de imagem e vídeo, entre outros. Em vez de precisar adquirir uma mídia física, com um conjunto de CDs ou DVDs, o comprador faz o download diretamente em sua máquina.

Dessa forma, a empresa pode tanto adquirir quanto fornecer esse tipo de produto mais facilmente, expandindo o tipo de negócio ao qual ela tem acesso.

Aumento da relevância dos dados

Estatísticas e dados quantificáveis sempre foram de suma importância para a administração de uma empresa, mesmo antes da tecnologia digital. Porém, as ferramentas disponíveis para aquisição de informações tinham capacidade mais limitada.

Pesquisas de opinião em ruas, mesmo que feitas constantemente, teriam uma baixa taxa de resposta em relação ao público total que uma empresa busca.

Com a chegada da internet e sua integração ao mundo empresarial, foram encontradas novas maneiras de lidar com essas informações. Primeiramente, elas podem ser coletadas automaticamente enquanto o usuário navega pelo seu site/e-commerce.

Além disso, a automação dessas funções facilita a análise posterior do desempenho da empresa, melhorando sua tomada de decisões.

Adaptação e inovação constantes

Algo que está diretamente relacionado à economia digital é a necessidade de mudança.

Grandes negócios quase sempre buscam alguma estabilidade em sua estrutura, mas, com novas ferramentas surgindo cada vez mais rápido, dificilmente é possível se apegar a uma mesma prática por muito tempo.

Inovação é uma das demandas primárias para seguir esse método. Em parte, isso pode ser um desafio para a organização do seu negócio. As constantes mudanças podem desnortear um pouco a equipe, o que sempre custa parte de sua produtividade.

Porém, a questão aqui é ensiná-los a se adaptarem com mais eficiência. Habilidade de aprendizado não é necessariamente um talento: ela pode ser adquirida por meio de estímulo. Com o tempo, sua empresa se adequará ao ritmo das mudanças e poderá acompanhá-las com mais facilidade.

Necessidade de mudanças estruturais

Como acabamos de dizer, essa nova economia é sinônimo de alteração frequente. Para seguir essa tendência, ela deve começar em algum ponto.

Se quiser adentrar no mundo digital, você terá que investir em ferramentas, treinamento, aquisição de pessoal especializado, entre outras coisas. Dependendo da sua conformação atual, pode ter que fazer mudanças profundas nos processos da empresa.

Estes custos podem ser bem significativos, mas os resultados certamente compensam, pois expandem o teto de crescimento do negócio. Além disso, não é necessário adotar todas as soluções de uma vez.

Comece com atualizações práticas, que tenham relevância imediata, seguida de alguns investimentos de médio e longo prazo. Dessa forma, você dá à estrutura tempo para se adaptar e dilui os custos de implementação.

Portanto, fique atento aos conceitos de disrupção e tecnologias exponenciais no seu negócio e saiba quando aplicá-los:

Streaming

Nem só de compartilhamento vive a nova economia. O Streaming é um serviço que chegou com força. Muitos são pautados por assinaturas para consumo sem limites de música, ebooks, podcast, vídeo e informação.

Neles, o cliente tem direito de ouvir/ler/ver uma quantidade praticamente ilimitada de conteúdos sem nunca possuí-los, sem nunca ser dono deles. Spotify, Amazon e Netflix são os expoentes nesse modelo de negócio que só se tornou viável com a disseminação da banda larga, principalmente em dispositivos móveis como smartphones.

Showrooming

Sabia que já é possível pesquisar e experimentar produtos em uma loja física e comprá-los por um preço mais barato em uma loja online? Esse fenômeno, conhecido como “Showrooming”, vem crescendo bastante, tirando o sono de varejistas em todo o mundo, e sendo debatido com grande intensidade nos últimos anos.

Com essa modalidade é possível, por exemplo, monitorar a concorrência e identificar quais produtos estão com um preço muito acima do mercado. Além disso, a empresa pode oferecer outros produtos de interesse do comprador que estejam sobrando em estoque.

Mercado financeiro

Os impactos da Economia Digital não se limitam a serviços de streaming ou a tecnologias inovadoras. Eles também estão presentes no mercado financeiro.

Exemplo disso são as criptmoedas. As moedas digitais quebraram a barreira do online e hoje já são aceitas como pagamento em diversos lugares.

Criado em 2009, o Bitcoin é uma criptomoeda que independe de qualquer autoridade central e pode ser transferida sem a necessidade de mediação, uma vez que utiliza a tecnologia blockchain.

Medicina e Educação

A impressão de órgãos, próteses, pele e ossos pode até parecer ficção científica, mas a união entre tecnologia e biologia já são possibilidades reais para a medicina. Uma das tendências mais modernas é a bioimpressão, técnica que utiliza células vivas como matéria-prima.

Na educação, plataformas de cursos online são novos meios de transmissão. Tanto do conteúdo que já era produzido para aulas presenciais como para a abertura de novos cursos.

Setor automotivo

Automóveis elétricos são realidade em vários lugares do mundo com a Economia Digital. Outro projeto revolucionário no setor automotivo são os carros autônomos, que prometem um impacto imensurável na vida de todos.

No caso, não só a indústria automobilista mudaria, como o mercado de seguros, uma vez que os acidentes com versões autônomas são mínimos. E até mesmo os serviços de estacionamentos, pois o carro ficará a maior parte do tempo em movimento.

Futuro com a Internet das Coisas

A Internet das Coisas, ou IoT, muito provavelmente vai transcender processos e atividades conhecidas. Ela vai fazer a conectividade ativa entre sistemas e dispositivos. Em geral pequenos e móveis, eles vão trocar informações e tomar decisões com pouca ou nenhuma interferência humana.

O que deve vir por aí?

Smart wearables – Roupas e acessórios inteligentes. Elas vão monitorar o seu sono – temperatura, qualidade, tempo e respiração.

Smart home – Casas totalmente conectadas. Portas automáticas, cozinhas inteligentes e todos os outros aparelhos. O acesso às casas será com a tecnologia de reconhecimento facial, combinada com câmeras de vigilância e uma rede cloud.

Smart city – Cidades inteligentes. Elas serão aquelas onde a infraestrutura de serviços públicos será constantemente monitorada em tempo real. Isso vai permitir que ações sejam tomadas a partir da análise de dados que fluem de diversas origens.

Smart environment – A tecnologia aplicada ao desenvolvimento agrícola. Essa é uma das áreas mais promissoras do mercado graças aos avanços da IoT. Desde sensores de umidade e temperatura que ligam a irrigação somente quando necessário, até o monitoramento de rebanhos por GPS que também dirige as grandes máquinas colheitadeiras e plantadeiras nas extensas plantações.

FONTE: Finance One

SAP BUSINESS ONE TESTE DRIVE

​A revolução digital chegou para pequenas e medias empresas

Compartilhe nosso Conteúdo

Compartilhar no facebook
Compartilhar no google
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin

Deixe uma resposta

Fechar Menu
pt_BR
pt_BR

Agora é possível competir com os grandes!

Potencialize e obtenha maior controle sobre sua empresa em crescimento com nossas soluções

SAP Business One